sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

ato oito.


.
Pois é, depois de amanhã tudo será novo, pelo menos no calendário. Hoje é dia de fazer retrospectiva, relatar os mais-mais do ano, indo das desgraças até as graças, sem deixar de passar pelos momentos de emoção. Mas eu não quero, não sinto vontade e nem vejo necessidade. O ano em sua grande parte foi ótimo e eu tenho muito o que agradecer a Deus. 
Conheci gente, ganhei gente, perdi gente e fui gente.
Sei que a memória vai se corroer com o tempo e eu posso até me esquecer dos momentos, mas tem coisa que nenhum alzheimer pode tirar.
Olho pra trás e vejo que foi melhor assim, foi melhor começar o ano sem lista e deixar o barco correr. Se não fosse assim eu não teria experimentado tantas coisas novas. Foi o ano em que eu mais abri mão do meu pré conceito. De música à filme, passando também pelas pessoas.
Minhas listas para o ano que vem já estão prontas, quero voltar ao meu comodismo, sem fechar as janelas. 
Talvez esse seja o último ato do ano, talvez.
Ainda temos tempo, nem que seja pra ficar olhando ele passar.

# sempre que você precisa, não funciona.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

um dedo de prosa [32]


.
Ela: eu já vou.
Ele: ainda é cedo.
Ela: é pra você sentir saudade.
Ele: então nem precisa ir.

bosquejo.


.
- vou comprar pão e já volto.

essa foi a última frase que eu o ouvir dizer. 
o sol 'frio' mostrava que a tarde já estava se findando e que a lua em breve iria brilhar. 
quando ele disse isso, eu estava em pé na cozinha. observando a água ferver pra então passar o café. a água ferveu e o cheiro do pó-de-café perfumou toda a casa. arrumei a mesa do jeito que ele gostava. sua caneca branca de boca pra baixo, em cima do prato preto. a garrafa térmica bem fechada e o leite gelado ao lado. sem toalha sobre a mesa, isso o incomodava. tudo quase pronto, faltava o pão, o qual ele saiu pra comprar.
resolvi ir até a varanda e me sentei na rede. estava esperando-o chegar, pra abrir o portão. olhei o céu, que de azul celeste ficou azul anil. sem nenhum brilho. e até mesmo sem lua. os ponteiros do relógio giravam freneticamente. eu começava a me preocupar.
foi então que o telefone tocou. dei um pulo e corri até a sala pra atender. 
a última coisa que me lembro é que quando abri os olhos percebi que aquele lugar não era a minha sala. várias luzes sobre os meus olhos. pessoas usando roupas verdes. 
e logo em seguida um pedido de silêncio.

# é arriscando que se ganha.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

constatação - II




.



- O amor não é pra mim.

Quem nunca disse isso?! Nem que fosse da boca ou dos dedos pra fora. A verdade é que todos curtimos um drama, eu então nem comento. Sou uma verdadeira Maria-Mexicana-do-Bairro. Não me envergonho do drama, mas não é sobre isso que quero falar. Tô aqui pra dizer que o amor é pra todos e é algo de graça. Sim, totalmente zero-oitocentos, minha gente.! Daí, como sempre, terá algum do-contra pra dizer que nunca foi feliz no amor, preciso dizer que eu só disse que o amor é graça e que isso não é garantia de felicidade?! É isso mesmo, apesar da certeza, o amor não traz termos de garantia ou algo do tipo. Cabe somente a você ser feliz ou não com ele. Tem quem diga que amor de verdade é aquele que arrebata nosso coração e pronto, somos-para-todo-sempre de uma só pessoa - acredito nisso também, só que antes do pastor/padre dizer tais palavras, muitos bois passam na frente dos carros e muitos amores correm no nosso coração de papel ou de vidro. Eu sei, tá tudo muito confuso e sem ordem, mas quem disse que as palavras aparecem em ordem na mente?! Daí, tô aqui aproveitando e digitando tudo de qualquer jeito, porque quando eu voltar daqui uns meses eu entenderei tudo. Isso também acontece com você?! Pois é, olha eu fugindo do assunto de novo. Voltando. Ser correspondido/a não é tudo e não resume o amor. Amor é amor mesmo quando sentido por uma só pessoa. Não te culpo por não concordar comigo, afinal somos projetados a acreditar que amor de verdade é aquele que chega num dia e dura até a outra certeza (morte) chegar. Já parou pra pensar que você tem amores que por serem velhos (?) já nem são sentidos?! Já nem fazem seu coração dançar ou sua boca sorrir. É isso que acontece, quando pensamos que amor só é amor quando vem da parte de um outro alguém.

# se mente amor.


domingo, 26 de dezembro de 2010

define ação.



.
chiclete.
café.leite.
pão.maionese.batata. 
nescau. serenata. baton. sorvete.
jeans. tênis.mochila. decote. fones.

- é, uma hora isso ia acontecer.

261210


.

são tantos planos.
são tantos sonhos.
são tantas listas.
são tantos objetivos.
são tantos quereres.
são tantas vontades.
são tantos lugares.
são tantas pessoas.
são tantas paixões.
são tantos amores.
são tantos relacionamentos.
são e serão nesse novo ano que vem chegando.


# palavras não podem conter.

faixa 27.


.
- time is just a melody (

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

ato dezoito.


.
Acho que cansei, cansei de esperar e de não fazer nada. Me conheço tão bem, que sei que continuarei do jeito que estou até que tudo troque de lugar. Sei também que tudo trocará de lugar porque as coisas se movem por conta própria, já que eu não movimento nada. Tô aproveitando essa deixa de fim de ano pra colocar um ponto em certas situações e alguns relacionamento inexistentes. Confesso que jogo no time daqueles que não deixam a esperança morrer, mas confesso também que sou a primeira a levantar o martelo pra bater em cima dela. É melhor assim, não tenho estrutura óssea pra relacionamento algum, seja ele de amizade ou com algum rapaz. Sou completamente desorientada e inconstante. Se te quero hoje, amanhã finjo que nunca te vi. Se te beijo agora, daqui meia hora você será só um texto jogado na internet. Não acredite na doçura dos meus olhos e nem no papo-furado que jogo pra cima de você. Todo mundo gosta de verdade, mas todo mundo foge dela, porque a bendita dói. Dói principalmente no ego e por último no coração. Às vezes, tento acreditar que sou doce e gentil, que posso conquistar todos com meu sorriso amarelo, mas esperto de verdade é aquele que não se deixa enganar. A vida é assim, minha criança. Daí pra melhor. 

# a gente se importa demais com gente de menos.

ato trinta quatro.



.
Dizem que a gente combina, tipo feijão com arroz e preto com branco. Tenho minhas dúvidas, mas nenhuma é capaz de me impedir de acreditar que possa ser verdade. Não entendo sobre as combinações, principalmente dos casais, mas acho que poderíamos ser uma. Isso não quer dizer que eu necessite de você, que só você pode ocupar e agradar o meu coração. Isso também não quer dizer que sem você a minha vida será sem cor ou cheiro. Isso quer dizer que pra mim seria um prazer, mesmo que ele durasse por alguns dias ou até mesmo por algumas horas. Gostaria de me misturar em você e com você. Porque se rolar um fim, ao menos terei um pouco de você em mim. Pra levar por toda vida, num lugar chamado baú-da-saudade.

# na dúvida, misture.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

em canto.


.
As coisas foram acontecendo e eu fui deixando. Queria só aproveitar e observar onde tudo iria me levar. Posso dizer que até hoje não sei onde cheguei, talvez seja porque eu não cheguei ainda. Tô na metade do caminho ou então no meio da estrada. (Que seja!). Estou procurando por uma música, uma que vá me ajudar a terminar o que comecei, antes deu selecionar tudo e deletar. Acho que hoje é um bom dia pra uma teoria barata, então simbora.
Me ensinaram e eu vou passar pra quem tiver coragem de lê. Quando queremos algo ou até mesmo alguém, seja lá o que for, vale ser um chaveiro ou até mesmo o/a vizinho/a do andar debaixo. Você precisa se mexer, demonstrar interesse ou correr atrás descaradamente. É isso mesmo, guardar a vergonha na gaveta e ir buscar aquilo que futuramente será seu. Sei que falar é fácil, porque eu estou aqui dizendo isso e tentando me convencer com as minhas próprias palavras. Sou a rainha da acomodação, quero só sentar e esperar o homem da vida vir buscar. 
(Sô besta?!)
Mesmo que você seja um/a medroso/a como eu, não faça a mesma besteira que eu. Não se esconda atrás de uma máscara chamada timidez. Não crie pudor onde não existe. A vida já trás vários obstáculos e dificuldades, você não precisa se preocupar com isso. Levante esse pé que ficou atrás e jogue ele lá frente. Mesmo que ao chegar no objeto/pessoa cobiçado você perceba que não é bem aquilo, vai valer a experiência e a coragem de ter feito algo em respeito.
Alguém entendeu?! Diga que não ou então venham me explicar.

# nem tudo é romântico, mas boa parte é romance.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

sem assunto.

.


dois copos.
dois cubos de gelo.


uma mesa.
um centro.


três cadeiras.
três tentativas.


um coração.
dois amores.
três paixões.


três nuvens.
dois barcos.
um sol.




# escrito (linhas)entre(linhas).

sábado, 18 de dezembro de 2010

faixa 36.


.
- Hoje, mais do que nunca, somos dois. 
A nossa liberdade é o que nos prende.()

ato catorze.


.
É sempre assim, dezembro chega e traz consigo as lembranças, as conquistas, as derrotas, os prazeres, os casos, os romances, as traições e todas as outras coisas que rolaram de janeiro até o dia trinta de novembro. Tem gente que clama pro calendário virar logo e outros raros que querem continuar no mesmo ano, crendo que as coisas pioraram se o ano trocar de roupa.
Tem quem aceite o fim, não por mim.
Em menos de duas semanas tudo se fará novo, mesmo sendo antigo e mal resolvido.
Sempre me jogo nas lembranças e conto sobre o que passou. Faço minha retrospectiva e lanço ao vento minhas alternativas.
Um ano que foi feito e vivido sem objetivos não precisa de retrospectiva. Me lembro de cada momento, seja ele bom ou ruim, amargo ou doce, colorido ou incolor, cheiroso ou inodoro. Não sinto vontade de chorar ou de sorrir. Estou paralisada pelo desejo que começar de novo e um novo.
A verdade é que estou entrando em mais uma crise, por isso mudanças repentinas e sumiços aparentes.

# não sei do destino, mas já encontrei o caminho.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

tá-lento.


.
Não sei o que o amanhã me trará ou levará de mim, a verdade é que isso pouco me importa. Porque, querendo ou não vai acontecer. Percebi que me desesperar pelo que virá ou irá é besteira. Só que mesmo assim, me preocupo. Não hoje, não agora e nem ontem. Quero só esperar acontecer, deixar o rio levar e a onda trazer. Sentar com uma xícara de café na mão esquerda e na direita o controle do som. Ouvir música alta até os tímpanos explodirem. Ter uma overdose de música, será que isso existe?! (Nem sei). Estou sem pressa de viver e apressada pra chegar em algum lugar. Tenho tantos planos, que acho que irei precisar de dois 2000iOnze. Exagero, preguiça e drama correm no meu sangue. Isso aqui nem serve como ato ou como teoria-barata, talvez isso aqui não seja nada. Só um ajuntamento de palavras e acentuações, ou nem isso. (Que Seja). Pois é, dezembro é sempre assim, essa melancolia misturada com ansiedade e arrependimento. Saudade do que passou e do que virá. Mas como eu disse no começo, o que virá e irá é da conta do de lá.

# a beleza se encontra nos ouvidos de quem é cego.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

par(es).


.
Eu sempre quis escrever sobre 'a gente', sobre o grupinho que surgiu e nem nome tem. Tudo começou numa mesa de uma lanchonete em volta de uma tigela de açaí. Não sei se o sentimento nasceu ali, no ato. Só sei dizer que depois daquele dia eu ganhei uma família-extra. Somos par. Quatro. Um equilíbrio entre homens e mulheres. Não tenho favorito ou predileta. Um segredo compartilhado com um é um segredo compartilhado com três. Cada um com a sua opinião e opção. Quando estou com eles fico livre de qualquer julgamento ou condenação, não tem coisa melhor. Nem mesmo a correria da vida adulta consegue acabar ou diminuir o sentimento que existe entre a gente. Afinal de contas, sentimento quando é de verdade vem pra ficar, não importa a ausência ou a distância. Eu percebi que não tenho amigos-de-infância, mas eles sabem tanto de mim, que posso fingir que são, né?!

Somos de semelhante modo diferentes.
Somos chatos e anti-sociais.
Somos legais e divertidos.
Somos uma junção de alegria com divã. 
Somos o apoio mútuo uns dos outros. 



O ano tá chegando ao fim, daí eu olho pra trás e vejo que eles estão do meu lado. Prontos pra iniciar mais um ano, mais uma fase e continuar a mesma amizade. Agradeço muito a todos: Christian, Lívia e Brayan. Ainda vamos fazer um piquenique, uma viagem de trem e mais uma lista de coisas. Quero vocês na minha vida todos os dias, enquanto existir amanhã, amém.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

ato trinta nove.



.
resolvi falar, novamente, sobre nós.
não somos uma casal, ou será que sim?!
prefiro acreditar que não. casal é coisa demodé demais, pra nós.
já perdi as contas de quantas vezes brigamos, e cá entre nós, casal não briga.
já perdi as contas de quantas vezes passei a noite olhando os belos olhos castanhos
 que ele tem.
entre nós não rola ciúme. tá, rola sim, e cá entre nós, entre casal não rola isso.
ele me acalma com um olhar.
eu o conheço só de olhar.
não temos obrigações um com o outro, temos uma coisa melhor: respeito.
fazemos tantos planos e temos tantos sonhos juntos. às vezes isso me traz um certo receio, pois planos/sonhos são coisas de casal, e definitivamente não somos um casal.
eu quero ele pra mim só até quando o amanhã existir.
sinto um frio na espinha quando escuto a voz dele no telefone.
ele fica sempre com vergonha quando eu o beijo. será que beijo é coisa de casal?!
andar de mãos dadas com ele me traz segurança.
virar a noite vendo seriado e desenho com ele é sempre melhor do que uma noite de sono.
temos uma rotina inconstante.
acho que nunca seremos um casal.
pois título/rótulo nenhum importa se eu o tenho ao meu lado.


# não é necessidade, sim vontade.

domingo, 12 de dezembro de 2010

ato doze.



.

Tesão é coisa que dá e passa, já dizia o ditado. O meu veio há dois anos atrás, ele esfriou há dois meses atrás e logo voltou. Voltou melhor do que da primeira vez. A coisa estava ótima, pra mim e para os outros. Até aí tudo bem e colorido. Eu me satisfazia e também satisfazia o prazer alheio. É legal oferecer prazer, mas o bom mesmo é sentir. Egoísmo o nome disso. (Que Seja). Daí, que agora o meu auto-prazer se foi. Não estou afim de só oferecer prazer, quero senti-lo também. O jeito é me jogar nos viagras - livros - e esperar o efeito vir.

# a dureza da verdade, leva pessoas a contarem mentira.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

constatação.



.

Dizem que a morte é a única certeza que temos na vida. Mas eu discordo, porque existem outras certezas por aí, mas hoje vou falar do: amor. Amor é uma certeza, o que não quer dizer que ele vai durar para sempre, afinal de contas a morte também opera no amor e com isso você já sabe o fim. Somos fabricados numa noite/tarde/manhã/madrugada de amor ou de puro sexo, que seja. Gosto de fantasiar que as pessoas fazem sexo com amor, mesmo sabendo que isso não verdade. Chegamos aqui e somos recebidos/as com amor, seja da mãe ou de alguma enfermeira carente. Quando criança, achamos que amor é aquilo sentimos pelos brinquedos e pelos biscoitos. Entramos na adolescência e começamos a ver que a banda toca diferente, que amor tem várias cores, cheiros e sabores. Alguns coloridos, outros preto-e-branco e a maioria é incolor. Vem com cheiro de fruta, cheiro de maresia, cheiro de chuva, cheiro de terra ou inodoro. Tem também os doces, salgados e insípidos. Não importa o cheiro, a cor ou o sabor, o que vem ao caso é que é amor. Não sei como as coisas funcionam na vida adulta, porque tô chegando lá. Mas tenho certeza de que as mudanças são poucas. A verdade é que adulto tem medo do amor e por ter medo se torna um ser amargo e só. Todos estão sempre procurando por certeza, mas sempre que se encontram ou escutam falar dela, sentem medo. Assim acontece com a morte e não é diferente com o amor.

# de tanto se valorizar, perdeu-se o valor.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

ato trinta um.



.
Ele tá gostando de mim, eu sinto e percebo isso. Não adianta ele tentar disfarçar, olhar para os lados ou mudar de assunto. Já não cabe mais fingimento ou disfarça. A verdade é que ele também já nem faz mais questão disso, resolveu abrir o coração e deixar os dedos contarem o que se passa do lado de dentro. As demonstrações de afeto dele são totalmente diferentes das quais eu estou acostumada. Ele é simples e direto, me elogia e ainda sim não é chato. Sabe as medidas exatas que me agradam. Me faz sorrir e sentir vibrações nos dedos. A melhor parte de todas é que ele não tem agraciado só o meu ego, ele tem tocado na minha alma e feito o meu coração sentir amor.


# sentimento de verdade troca de roupa, mas não acaba.

domingo, 5 de dezembro de 2010

ato quinze.

.
Estão espalhando por aí que o ano acabou, que agora o que me resta é sentar e esperar pelo ano que virá. Que tudo que tinha pra ser feito foi e o que não foi dirá.
Calmaê, meu cumpadi.! Ainda tenho vinte-seis dias, três semanas e um pacote de pedidos.
Sei que isso soará incoerente, porque desde fevereiro estou clamando pelo ano seguinte, só que as opiniões e os gostos mudam, assim como o clima. Hoje faz calor e amanhã o céu cairá em forma de água.
Fato é que eu ainda quero o ano seguinte, mas não quero começá-lo com coisas velhas dentro de mim. Quero e preciso de tempo pra me livrar de todo vestígio que o ano de 2000idez trouxe e deixou em mim. Tô precisando cumprir algumas promessas que fiz pra mim, porque as que fiz pra outros ficaram para os anos seguintes. Necessito de fazer alguns cálculos e subtrair algumas pessoas da minha vida.
Se o ano que virá será novo, quero levar somente o novo comigo. Mesmo que esse novo seja usado e com cheiro trocado.
Calmaê, meu cumpadi.! Ainda tenho tempo, tempo pra perder e investir.
Estou esperando o momento certo, nem que ele apareça no último minuto do dia trinta-e-um, sei que ele acontecerá e quando acontecer: vem-ni-mim 2000iOnze.!

# quem tem saudade tem pressa.


sábado, 4 de dezembro de 2010

um dedo de prosa [31]


.
Ela: hoje é meu aniversário.
Ele: parabéns.!
Ela: cadê meu presente?!
Ele: quer namorar comigo?!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010