quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

par(es).


.
Eu sempre quis escrever sobre 'a gente', sobre o grupinho que surgiu e nem nome tem. Tudo começou numa mesa de uma lanchonete em volta de uma tigela de açaí. Não sei se o sentimento nasceu ali, no ato. Só sei dizer que depois daquele dia eu ganhei uma família-extra. Somos par. Quatro. Um equilíbrio entre homens e mulheres. Não tenho favorito ou predileta. Um segredo compartilhado com um é um segredo compartilhado com três. Cada um com a sua opinião e opção. Quando estou com eles fico livre de qualquer julgamento ou condenação, não tem coisa melhor. Nem mesmo a correria da vida adulta consegue acabar ou diminuir o sentimento que existe entre a gente. Afinal de contas, sentimento quando é de verdade vem pra ficar, não importa a ausência ou a distância. Eu percebi que não tenho amigos-de-infância, mas eles sabem tanto de mim, que posso fingir que são, né?!

Somos de semelhante modo diferentes.
Somos chatos e anti-sociais.
Somos legais e divertidos.
Somos uma junção de alegria com divã. 
Somos o apoio mútuo uns dos outros. 



O ano tá chegando ao fim, daí eu olho pra trás e vejo que eles estão do meu lado. Prontos pra iniciar mais um ano, mais uma fase e continuar a mesma amizade. Agradeço muito a todos: Christian, Lívia e Brayan. Ainda vamos fazer um piquenique, uma viagem de trem e mais uma lista de coisas. Quero vocês na minha vida todos os dias, enquanto existir amanhã, amém.

9 comentários:

Rita Gomes disse...

eu acho que o meu pai não percebe o quão mal me deixa, mas enfim... obrigada querida :) beijinhos

renatocinema disse...

Essa quimica é linda, poética. Espero que a sua dure para sempre.


A minha turma os "Minhocas" foi perdida com a perda de um membro pela violência de SP, ficamos só dois. O restante perdemos pelo caminho. Se bem que retornaram quando mais precisei. Hoje é só pela net que nos falamos.

Esses momentos juntos serão especiais, garanto.

Sobre não se atrair por Machete, não tem problema. Eu te perdoo.kkk. Dessa vez......

Eterno-sorvete-de-flocos.

Marcelo R. Rezende disse...

Que coisa linda.
Essas amizades devem ficar pra sempre com a gente, mesmo que acabem, as reminiscências do tempo em que elas figuraram são demasiado lindas.

Seja pra sempre esse 4.

Beijo.

Suzi C. Lima disse...

^^ Deve ser ótimo ter amigos com os quais se possa contar...Não tenho muitos desses. Sobretudo, os meus amigos de infância cresceram e desapareceram. Sinto uma pontinha de inveja de você...(mas, é inveja boa, daquela que "quer também").

A segunda parte do conto "Férias Interrompidas" já foi publicada (se quiser conferir):
http://emyhouse.blogspot.com/2010/12/ferias-interrompidas-2-parte.html

circus disse...

Own, isso é fofo =)
Nada como amigos mesmo. Conto em uma mão os meus, mas ponho as duas no fogo por eles ^^

Renan Mendes disse...

Ai, que lindo. Me fez lembrar do meu grupinho, também quatro.
Todos os dias, enquanto existir amanhã, amém. [2]

Beijos, moça bonita.

Inercya disse...

Amizade verdadeira nasce assim, de repente. E dura, mesmo com a distância e com os caminhos diferentes. Esse texto me deu vontade de ver meus amigos.
Sorte deles que têm você e você que tem eles. :)
:*

JhonSiller disse...

Semelhantes de modos diferentes.
Adoro as verdadeiras contradições!

Caroline ; disse...

ooti, que amor. O final, o ínicio e o meio, tudo muito perfeito !