quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

só lar.



.
Joaquim fazia o mesmo trajeto todos os dias e em todos eles parava para brincar com uma gatinha que morava há duas quadras de sua casa. fazia questão de sempre levar um pedaço de chocolate amargo, era o favorito dela. às vezes ele cogitava a ideia de adotá-la, mas tinha medo das responsabilidades vindouras e então deixava as coisas como estavam, afinal não se mexe no time que tá ganhando. 
certo dia, Joaquim acordou e teve toda certeza de que seus dias poderiam ser melhores com a gatinha acordando na sua cama. a ficha de que já era tempo deles serem felizes juntos caiu naquela manhã. então ele tomou banho, comeu metade de um pão dormido e saiu com dois pedaços de chocolates amargos. porém, antes mesmo de virar a segunda esquina ele a viu. sua pelagem estava diferente, parecia que ela tinha tomado banho e quando se aproximou mais ele notou que havia algo na garganta dela: uma coleira! o susto foi tão grande que ele até esqueceu dos chocolates que estavam derretendo em seu bolso. ele se abaixou pra fazer um carinho, mas antes que a mão chegasse no pescoço dela, alguém gritou:
- MIÁ, VAMOS!
ela olhou pra Joaquim e se foi.
até hoje ele fica a pensar naquele olhar que dizia mais do que adeus, dizia: você me perdeu.