sábado, 11 de agosto de 2018

como são as coisas.



.
eu não sei você,  mas eu gosto de ter uma trilha sonora para tudo. isso mesmo, até pra lavar as calcinhas depois do banho ou então pra marcar o tempo que demoro para resolver uma lista de expressões numéricas. claro, com meus relacionamentos não iria ser diferente.
eu sempre julguei as pessoas que repetiam as músicas em diferentes relacionamentos. isso sempre foi (mentira que ainda é) algo inaceitável, porque ninguém te obriga cantar outra pessoa ou se declarar através de uma canção, logo o mínimo esperado é que haja criatividade de sua parte, okay? 
sou uma colecionadora de "ex", tenho ex-crush, ex-namorado-virtual, ex-amigo, ex-amiga, ex-vizinho-gato, ex-futuro-marido e acho que deu pra entender. para todos eu tinha uma banda ou um cantor ou uma cantora que embalava nossos momentos. quando o fim chegava, assim como qualquer ser humano maduro, eu bloqueava os artistas. na verdade, eu tinha várias recaídas até conseguir evitar por completo. isso durava até a dor esvair pelos poros e olhos. 
então, um belo dia alguma música escapava pelos lábios e os ouvidos recebiam de braços abertos. me libertando das amargas amarras do passado e permitindo que as novas canções embalassem o presente.