quarta-feira, 27 de junho de 2012

oito.



.
O sorriso de ambos não estava relacionado ao conteúdo da mensagem e sim com o fato de existir uma mensagem. Era aquele tipo de sorriso que qualquer um/a abre quando olha o celular e ver que aquela pessoa se lembrou da gente, entende? 
Uma sms foi levando a outra e um novo diálogo surgiu entre eles, ela da varanda do apartamento e ele jogado no sofá de casa. Ela não sabia, mas ele não estava tão longe assim.
Papo vai e papo vem, o relógio marcou 4:30 da manhã. Ela deu um pulo da cama e foi olhar pela janela, não conseguia acreditar que já tinha mandado mais de cem mensagens para ele. 'De onde saia tanto assunto?' - era o que ela ficava se perguntando.
Como era madrugada de sábado, ela arriscou um convite, segue o diálogo:
 'vamos na praia?' 'mas você não gosta de praia' 'mas eu quero ir' 'quando?' 'daqui uma hora' 'chego em meia hora' 'eu disse daqui UMA hora' 'é pegar ou largar' 'te pego! hehe' 'se arruma que eu tô chegando' ...


sábado, 23 de junho de 2012

entre as vistas.



bem, eu gosto de dormir, sabe? tô falando sério! gosto de pessoas também, mas confesso que prefiro dormir! isso não conta? como assim? então tá, deixa pensar em outra coisa ... gosto de ouvir música, mas não quando tem gente por perto, porque até hoje eu não aprendi a conversar ouvindo música, será que tenho algum problema? desculpa! desculpa! não sou eu quem faço as perguntas por aqui, tinha me esquecido. mentira, é que eu não consigo só responder, gosto de saber o que acontece do outro lado. se sou curiosa? coloque curiosa nisso! acho que é porque eu me importo, mas nem sempre foi assim. quer detalhes? ficará querendo! próxima pergunta. do que eu não gosto? de escrever com letra maiúscula. tu percebeu, né? que inteligente da sua parte. ah! eu não gosto de cereja e nem de água gelada. sim, eu danço enquanto tomo banho e também choro, porque variar faz parte. se eu disser que sou feliz, você vai pensar que eu vivo rindo? porque uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa! manias? eu tenho várias, a começar pelo tubo de creme-dental! não consigo ouvir 'o vencedor' apenas uma vez; colo adesivo ao invés de usar corretivo; lavo primeiro os copos e por último os talheres; como pão pelas beiradas, é pra continuar? porque eu não tô querendo parecer uma paranoica, sabe? sobre os livros? confesso que gosto mais de comprar do que ler. eu olho para a estante e imagino que tá rolando uma puta festa entre eles, ou coisa do tipo. é, eu tenho uma imaginação infantil fértil. bem, a minha relação com os números sempre foi exata - ria, por favor! -, já com as letras eu tenho um relacionamento nada sério, porque amor é amor, romance é romance e com o português é só um lance - você pode rir agora também. vai ficar me olhando assim? continuando. o que você perguntou mesmo? é verdade, eu gosto de ir no cinema sozinha, do mesmo jeito que eu gosto de ficar em casa sozinha e faxinar sozinha. às vezes eu prefiro assim, porque daí eu fico livre pra escolher o filme que eu quiser, pra ouvir a música que eu quiser e começar pelo cômodo que eu quiser. minha mãe diz que eu sou muito egoísta e pode ter certeza de que ela sabe o que diz. se eu aceito companhia? é claro! agora? assim? e o resto das perguntas? tudo bem, tudo bem. você é quem faz as perguntas! podemos ir?

segunda-feira, 18 de junho de 2012

lua cheia.



.
Ela apertou o passo e pegou na mão esquerda dele, não se explicou e continuou andando normalmente. Antes dele fazer qualquer tipo de pergunta, uma voz gritou:
- PASSA! PASSA TUDO!
De começo ele pensou que ela também fazia parte, mas quando a olhou ela estava tremendo tanto quanto ele. Daí que ela jogou a bolsa no chão e disse que não possuía mais nada. Ele só tinha um molho de chaves - pois havia esquecido o celular e a carteira em casa. O ladrão nenhum pouco satisfeito, começou a vasculhar  a bolsa da moça e descobriu que só havia: um livro; um espelho; uma bala de melancia e o cartão do vale transporte - que ele ainda não sabia, mas estava zerado. Foi difícil saber do lado de quem o azar estava, até o ladrão gritar:
- NÃO VOU SAIR NO PREJUÍZO SOZINHO, VAMÔ TIRANDO A ROUPA!
Ele olhou pra cara dela e disse:
- Eu ouvi direito?
Ela olhou pra ele e deu de ombros, tirou a blusa e jogou na direção do ladrão, que torceu o nariz.
- Desculpa, era pra ser com emoção?
A risada dele saiu tão automaticamente que ele nem percebeu que o ladrão estava lhe encarando.
Enquanto ele tirava a camisa, ela já estava só com a roupa de baixo e meias - porque enquanto tirava as calças, ela disse que as meias ele não levaria! Passou-se dois minutos e meio e lá estavam os dois: de meias e roupa de baixo, sorte que era uma noite de lua cheia. 
O ladrão mandou eles olharem para o outro lado e sumiu como se tivesse evaporado no espaço.
Ela lhe desejou boa noite e foi andando como se nada tivesse acontecido. Ele apertou o passo e a puxou pelo braço. Antes mesmo de abrir a boca, ela foi logo dizendo:
- Já não basta perder as roupas, agora tu quer levar meu coração também?
Ele nem acreditou na pergunta, enquanto pensava numa maneira sensata de responder, ela evaporou - que nem o ladrão havia feito uns minutos antes.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

~~



.
Se há vontade,
então fique à vontade.


segunda-feira, 4 de junho de 2012

prece.



.
Não permita Deus que eu morra antes: de dar um passeio de balão; de me casar; de adotar uma criança; de aprender a fazer panquecas; de cantar loucamente 'O Vencedor' num show do Los Hermanos; deu conhecer o nordeste e o sul; de ser madrinha de casamento das minhas amigas; de ler todos os livros que eu tenho na lista do skoob; de participar de um flash mob; de tirar carteira de motorista; de contemplar a face do Chris Martin de perto; de comprar um fusca preto; de escrever um livreto; de ter uma coleção digna de all star; de ter todas as canecas legais que existem; de aprender a tocar violão; de provar todos os chocolates que existem; de comprar uma camisa no camiseteria; de ir na lua, amém!