sábado, 18 de dezembro de 2010

ato catorze.


.
É sempre assim, dezembro chega e traz consigo as lembranças, as conquistas, as derrotas, os prazeres, os casos, os romances, as traições e todas as outras coisas que rolaram de janeiro até o dia trinta de novembro. Tem gente que clama pro calendário virar logo e outros raros que querem continuar no mesmo ano, crendo que as coisas pioraram se o ano trocar de roupa.
Tem quem aceite o fim, não por mim.
Em menos de duas semanas tudo se fará novo, mesmo sendo antigo e mal resolvido.
Sempre me jogo nas lembranças e conto sobre o que passou. Faço minha retrospectiva e lanço ao vento minhas alternativas.
Um ano que foi feito e vivido sem objetivos não precisa de retrospectiva. Me lembro de cada momento, seja ele bom ou ruim, amargo ou doce, colorido ou incolor, cheiroso ou inodoro. Não sinto vontade de chorar ou de sorrir. Estou paralisada pelo desejo que começar de novo e um novo.
A verdade é que estou entrando em mais uma crise, por isso mudanças repentinas e sumiços aparentes.

# não sei do destino, mas já encontrei o caminho.

4 comentários:

renatocinema disse...

Dezembro.......traz meu aniversário. Isso sempre será uma boa lembrança.kkkk.

O caminho é mais importante que o destino. Eu acredito nisso.

Luciana Matos disse...

Aaaaaai meus Dezembros são tenebrosos!
Angustiantes!
Penso em tudo o que eu não fiz no ano e me bate um desespero...
bjim

Gabriela Castanhari disse...

oi, amei esse texto, posso publica-lo em meu blog ?
claro, com os devidos créditos ? o blog: http://cravoecanelagabriela.blogspot.com/

obg. bjs

Gabriela Castanhari disse...

o titulo é esse mesmo? porque vi vários outros posts com ato. como ato doze , e etc...