sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

ato dois mil e doce.



.
Então é ... Quase o fim de dezembro e cá estou a revisar minha lista-do-que-levar-na-mala. Irei fechar o ano com chave de ouro, viajando para o Nordeste e indo conhecer meus presentes - de natal, ano novo, carnaval e todos-os-feriados-e-desculpas-para-presentes! 
Como a vida gosta de gozar da nossa face, né? Eu nunca gostei de anos-pares, na verdade, eu sempre me dei (muito) mal e criei uma certa resistência. Daí vem o ano de 2012 e despedaça esse trauma em pedaços quase que imperceptíveis! 
Foi o ano que eu vive uma supremacia na minha vida, em todas as áreas - até na sentimental, acreditem se quiser! (risos) 
Realizei o sonho de ir até Brasília e Sápaulo. Comprei livros como se eu fosse uma leitora assídua. Li livros como se eu não tivesse aulas para planejar. Curti as noites de terça-feira (sô até capaz de dizer que deixei de odiar um pouco esse dia da semana) como se eu não tivesse que levantar 5:30 no dia seguinte. Conheci a sensação de aplicar uma prova. Fiz uma viagem só com a minha amiga - e em breve farei outra! Conheci pessoas que fizeram a vida e os esforços valerem todas as penas do maior galinheiro do mundo. Me apaixonei, me desapaixonei e me peguei gostando de alguém na vera. Vi o seriado da minha vida chegar ao fim. Encontrei bandas e músicas que embalaram os meus dias no transcol. Vi minha banda favorita comemorar 15 anos de longe, porque sou pobre e não consegui ir em nenhum show (espaço para os soluços e corizas). Fiz duas tatuagens e alarguei a orelha esquerda. Fui no cinema todos os meses e quase sempre acompanhada (acreditem se quiser). Experimentei comida mexicana e tomei tequila do jeito que aprendi nos seriados. Troquei o all star por sapatilhas - mas ainda os uso. Aboli o refrigerante da minha vida, sim incluindo a coca-cola! Voltei a tomar café como se o nescau tivesse deixado de existir. Mudei a operadora do celular só por causa do bofe. Dancei em público mesmo sem saber dançar. Aprendi a usar lentes de contato. Ganhei uma sobrinha - que é a coisinha mais linda e cabeluda do mundo todo! (espaço para a baba escorrendo). Cheguei a conclusão de que nasci para ser professora, não me vejo fazendo outra coisa. Entrei num curso técnico e ganhei um bonde(!). Assisti 'Titanic' no cinema como se fosse a primeira vez. Aprendi a baixar filmes/seriados usando torrent. Finalmente consegui assistir todos os episódios de House. Percebi que família a gente não escolhe, a gente ama e fim. Aprendi a usar uma HP 12C - leia-se calculadora financeira.
Como eu disse, tô de malas prontas - na teoria, porque na prática só domingo a noite - e contando os dias. Agradeço muito a Deus por me proporcionar cada alegria, cada tristeza, cada sorriso, cada lágrima, cada dia de sol, cada dia de chuva, cada abraço, cada beijo, cada carinho, cada briga, cada discussão, cada reconciliação, cada alto e baixo, cada vitória, cada derrota, cada conquista, cada sonho realizado, cada pessoa conhecida, cada pessoa esquecida, cada música, cada silêncio, cada tudo.
... vida que segue.