quinta-feira, 20 de março de 2014

fé, li na cidade.



.
então você olha pra trás e percebe quantas histórias, quantas lamúrias, quantas gargalhadas, quantas piadas, quantos filmes, quantos furos, quantos passeios, quantas madrugadas, quantas músicas trocadas, quantos vídeos assistidos, quantos sonhos compartilhados e realizados, quantos casos e descasos, quantos choros, quantos divãs, quantos conselhos, quantas orações, quantas promessas, quantas fotas, quantas furadas, quantos programas de índio, quantas mensagens, quantos emails, quantas cartas, quantos livros compartilhados, quantos artistas apresentados, quantos seriados pra serem viciados, quantos segredos, quantas fofocas, quantas coincidências, quantas diferenças, quantas brincadeiras, quantos codinomes, quantos conhecimentos adquiridos, quantas futilidades acrescentadas, quantas informações trocadas, quantos projetos ... a lista é tão imensa, tão vasta e ainda parece ser tão pequena. 
minha vida nunca poderá ser contada sem vocês, nunca conseguirei me apresentar sem falar um pouco de vocês, porque com o passar dos meses eu fui pegando a mania de uma, o costume da outra, o defeito daquela e o gosto daquela outra. fui me misturando com a essência de vocês, até virar esse doce amargo que sou hoje. vocês são minha trilha sonora, aquela que eu escuto quando estou triste ou em festa, me aconselham mesmo sabendo que não lhes darei ouvido, ouvem meus problemas como se fossem de vocês e escolheram me amar porque o amor tem dessas coisas. distância nunca foi problema pra gente e nem será, ela até nos ajuda. me ensina a valorizar melhor o tempo que tenho ao lado de vocês. ouvi dizer que hoje é o dia internacional da felicidade e com vocês eu sou feliz, até quando estou triste. hoje começa o outono, que as folhas velhas que nos impedem de crescer venham a cair e que a nossa amizade resulte em mais e mais coisas pra se contar, amém.

amo você, cabrita (Haya)
amo você, suíte jardim (Lívia)
amo você, soul sister (Pâmella)
amo você, boneca de lata (Rebeca)


sem nó.




.
esperar não é e nunca será fácil. exige paciência misturada com fé, para o caso da primeira venha a vacilar a segunda sustentar. 
toda espera consome o pouco juízo que conservamos. seja a espera pela nota daquela prova tão temida ou surpresa, seja a espera da resposta de uma entrevista de emprego, seja a espera pelo resultado de um exame médico, seja a espera pela pessoa amada ou espera pelo ônibus na parada.
sempre que decidimos esperar por algo, na crença de que a nossa espera valerá a pena e quiça o galinheiro inteiro, acontece coisas e aparecem pessoas pra nos mostrar que esperar é tolice, brotam das rochas atalhos e bugalhos. nos confundem a mente, fazendo-nos pensar que nossa espera é perca de tempo. 
como eu disse, esperar não é fácil e também não é difícil. difícil mesmo é arcar com todas as consequências de nosso imediatismo, difícil mesmo é suportar o arrependimento de nossas atitudes desesperadas e difícil mesmo é carregar consigo o pensamento de como-teria-sido-se-eu-tivesse-esperado. 
e quando até a fé for abalada, trazer a memória que: esperar é caminhar.

segunda-feira, 17 de março de 2014

frase. / vinte um.



.
# enquanto você grita por socorro, eu só corro.

sexta-feira, 14 de março de 2014

só nó.



.
minhas olheiras já se tornaram uma maquiagem permanente e uma marca registrada. elas que sempre fizeram parte de minha vida - mesmo com longas horas de sono -, hoje estão mais aguçadas do que nunca. quando penso que elas chegaram ao ápice, percebo que a cada amanhecer elas se superam um pouco mais. se minha vida anda do avesso, o que posso dizer do meu sono? justo eu que sempre fui boa de cama, hoje não consigo passar mais do que algumas horas nela. parece que meu corpo se cansou da posição horizontal e pronto. meus olhos não acompanham meu cansaço mental e corporal, eles querem ficar abertos até mesmo quando os fecho. várias teorias estão sendo criadas: preocupação, ansiedade e até paixão. já segui todas as receitas: ioga, chá, remédio, exercício físico e mental, leitura, luz apagada, música relaxante e até carneirinhos, mas Q U E D Ê o sono, braseal? tenho comigo que quando essa onda passar eu irei pagar de urso e hibernar ...

segunda-feira, 10 de março de 2014

casa em andamento.




.
casar é querer ter e ver a pessoa amada todos os dias, sem precisar dizer tchau porque ficou tarde. casar vai muito além do sexo garantido ou seguro. casar é se misturar com o outro a ponto de não existir diferenças. casar é ter um cúmplice que se recusa a nos apoiar quando estamos errados. casar é aquela certeza de que tem gente pensando e esperando por nós. casar é ter com quem dividir as contas e o último bombom da caixa. casar é ter uma fonte inesgotável de inspiração. casar é mudar sem reclamar. casar é a alegria de saber que terá gente pra te ajudar com a roupa ou louça suja. casar é bregar sem se envergonhar. casar não deve ser refúgio pra solidão. casar não é essa obrigação social explanada por ai. casar é complexo e singular. casar é conhecer os defeitos de perto e se apaixonar com as qualidades. casar é misturar as gargalhadas harmoniosamente. casar é caminhar, voltar, parar e observar. casar é ter um ombro pra se apoiar e um colo pra ninar. casar é abraçar sem fim. casar é o resultado positivo da soma eu + você + amor.

sexta-feira, 7 de março de 2014

rio torto.



.
o sábio cantou 'é impossível ser feliz sozinho',
mas resposta do louco foi: 'o impossível é só questão de opinião'.

antes de ser.



.
foram as coincidências do destino que fizeram o encontro acontecer
 pra então o dia-a-dia fazer permanecer
e continuar a cada amanhecer. 

quarta-feira, 5 de março de 2014



.
não existe esse lance de disputar a pessoa amada com terceiros. ninguém é ninguém, então não devemos tratar o outro como se fosse propriedade nossa. o outro tem que nos querer, tem que desejar estar ao nosso lado e fim. o poeta já dizia que amor não se implora. ciúmes nunca foi e nunca será sinônimo de cuidado. são demonstrações de afeto que fazem a pessoa querer ficar, são as coincidências que a fazem continuar e o amor só vem pra sustentar.  
nunca consegui disputar por ninguém, sempre preferi abrir mão e deixar a pessoa ir. há quem diga que isso não é amor de verdade, porque quando a gente ama de verdade a gente faz de tudo pra pessoa ficar, mas cá entre nós: quem gosta de carcere ou obrigação? somos todos livres pra ir e voltar quando permitido. 
nessa vida eu só disputo por duas coisas: bacon e palmito, é!

segunda-feira, 3 de março de 2014

um dedo de prosa [68]



.
Ele: bons sonhos com a gente.
Ela: pra que?
Ele: pra gente praticar depois.
(suspiros)