terça-feira, 25 de abril de 2017

feliz na vida.



.
a vida tá voando, os planos mudando e você adquirindo mais experiência - jamás diria que tais ficando velho, porque tu tens a alma mais jovem que eu me orgulho de conhecer.
acabei de reler um texto que te fiz há quatro anos atrás e como é bom de saber que posso vir aqui e reescrever tudo aquilo novamente. 
a maturidade da nossa relação sempre esteve fora do padrão e isso só faz festejar o coração. ♡
daqui eu te mando todas as energias positivas pro seu dia ser mega da hora! muitos beijos, muitos abraços (lembrando que o melhor deles só será em outubro haha), muitos chocolates, muitas mensagens carinhosas, muita música e todo amor que houver nessa vida.

com amor e com afeto,
mariola. 💙

quarta-feira, 19 de abril de 2017

shits happens




.
então, você tem a sua rotina alterada. a marcação na rede social até chega a ser feita, porém você não tem autorização moral de ativar. a conversa no whatsapp é até clicada e então seu subconsciente te avisa que vocês não estão se falando. é ponto pro ego, que avisa ao orgulho que o placar é de vantagem.
então, o coração pede mais uma segunda chance. e a razão logo responde: mais tarde. o mais tarde nunca chega, o que chega mesmo é o outro dia e um dia a mais na conta do orgulho vencedor. se isso incomoda saber? é claro, porém deixamos o barco correr cordilheira abaixo. 
então, a saudade chega devastando a gente. chegamos tão perto do abraço e ficamos só no perto. talvez a onda da saudade precise de um tempo pra crescer ou desaparecer - só o tempo saberá dizer. a verdade é que o coração só ganhará voz e formato quando a saudade for maior do que orgulho que já consome grande parte do placar, é.

domingo, 2 de abril de 2017

assunto nosso.






.
"os opostos se distraem, os dispostos se atraem.
(TM)

as diferenças não são motivos reais para os finais. 
nossas desculpas como falta de tempo é o que nos torna desatentos. 
deixamos de discutir a relação para que o tempo se encarregue da missão.
o alvo comum passa longe de quando éramos um.
os defeitos arrombam a porta do respeito. 
considerar a ação é algo que existe apenas na imaginação.
mas adiamos o rompimento achando que ele é o causador do sofrimento. 

sábado, 4 de março de 2017

estar ágil.



.
relacionamentos quando chegam ao fim passam por estágios diferentes, independente dos motivos e razões que nos levaram ao fim. 
no primeiro estágio: ficamos procurando os culpados, justificamos todas as nossas ações, temos uma boa desculpa na ponta da língua, mas a verdade é que a gente ainda não sabe bem o que aconteceu de fato.
e percebemos que estamos no segundo estágio: quando não queremos ouvir falar da pessoa com quem rompemos os laços afetivos, não suportamos lembrar do tempo vivido ao lado daquela pessoa, nos sentimos estúpidos e culpados por ter se enfiado numa relação como aquela. o coração vai se enchendo de rancor e arrependimentos.
mas o terceiro estágio chega e então: deixamos todo líquido de escuridão escorrer, seja pelos olhos ou pelo suor. percebemos que ouvir falar da tal pessoa já não nos causa nenhum efeito, estamos livres dos remorsos e até conseguimos rir dos desastres.
e quando achamos que já tá tudo massa, vem o quarto ou último estágio: conseguimos reconhecer todas as coisas boas que aquela relação nos trouxe. lembramos dos perrengues que nos tornaram mais pacientes. agradecemos por sermos mais humanos e menos mesquinhos. o coração sorrir ao recordar os bons momentos.
enfim, o fim nos conduz aos bons começos. 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

par is.



.
quando eu falo de tu a voz chega embargar, saca? rola um festejo dentro de mim que a emoção transborda pelos olhos. o sentimento que nos mantém juntos vai além do tesão, ultrapassa as incertezas da paixão e ocupa órgãos além do coração. seja de pé ou na queda, sei que sua mão estará entrelaçada com a minha. o alinhamento dos planetas junto com o cruzamentos de dados não poderia ter um melhor resultado. 
nossas peculiaridades me fazem erguer os braços e agradecer ao Criador disso tudo todos os dias. quando os ventos contrários assopram nossa tenda, percebemos que nosso alicerce tá firmado em quem controla todos os ventos. 
eu amo você e quero todos os dias te lembrar disso. quero também compartilhar com os outros, para que eles se lembrem de que o amor é algo com sabor e não esses trem de amargor.  

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

guia de mão.




.
gosto da solidão,
porém ela não faz morada no coração.
gosto da solidão,
mas sempre procuro alguém pra segurar a mão.
gosto da solidão,
por ser útil como limão.
gosto da solidão,
entretanto não é ela quem controla o guidão. 

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

mais cedo e menos tarde.



.
por favor, não tente me possuir. 
mais cedo ou tarde irei sumir. 

por favor, não tente me aprisionar,
mais cedo ou tarde vai me sufocar.

por favor, não tente me deter,
mais cedo ou mais tarde não vou te querer.

por favor, não tente me afastar,
mais cedo ou mais tarde isso vai se realizar.

por favor, não tente me comprar,
mais cedo ou mais tarde os recursos vão esgotar.

por favor, não tente me esconder,
mais cedo ou mais tarde irei aparecer.

por favor,  não tente me negar,
mais cedo ou mais tarde a verdade aparecerá. 

domingo, 1 de janeiro de 2017

ato mile dezessete.




.
e como mágica algumas coisas deixam de incomodar, aliviando aquele pesinho que puxava nosso coração para o poço da amargura.
não sabemos explicar, talvez seja realmente o agir do sinhô tempo ou então do vento. sentimos um leve impulso que nos faz seguir em frente e não para os lados, como se fossemos caranguejos.
nessa virada de ano um grande amigo me lembrou do 70x7 e hoje eu sinto que esse será um dos lemas de dois mile dezessete. se não for, ao menos eu já comecei com o coração direito.
fazemos tantos planos e esquecemos de limpar nossos pântanos.
sim, devemos agradecer antes de querer. organizar antes de comprar. limpar antes de arrumar. e principalmente perdoar antes de conquistar, me ajuda Senhor.
e lá se vamos nós, prontos ou não o avião já saiu do chão.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

efeitos colaterais.



.
senta aqui, vamos conversar um pouco. sabe por que o ciúmes deve ser carta fora do nosso baralho? porque ele envenena nosso coração, fazendo a gente alucinar e ver macaco em cima do poste. pode parecer exagero, mas se você parar pra pensar tudo faz muito sentido. quando o ciúmes ocupa espaço no nosso coração, mudamos nossas atitudes com o outro, como se ele fosse culpado pela nossa própria paranoia. tratamos nosso ser amado como réu culpado por algo que só existe na nossa imaginação. já não agimos com a razão e sim com uma emoção cega. e o único antídoto capaz de nos livrar dos efeitos colaterais desse maldito veneno é o amor. sim, porque quando a gente ama não há espaço para ciúmes, acredite. 

sábado, 3 de dezembro de 2016

vim ter.



.
poderíamos ser aquele casal que se conheceu na fila do pão e então se entregou a paixão. mas nós somos aquele tradicional match do tinder que saiu pra tomar qualquer drink. 
poderíamos ter continuado no somos--amigos. porém nós escolhemos adicionar outras sensações na nossa relação. 
poderíamos ter abandonado o barco há tempos. entretanto nós resolvemos enfrentar os maus ventos.
poderíamos estar usando contas conjuntas nas redes sociais. no entanto sabemos que só faz isso pessoas com distúrbios mentais. (ho ho ho)

poderíamos ser tanta coisa diferente do que somos, todavia a gente seguiria rumo aonde estamos. somando mais um mês na nossa somatória de vitórias. (tô um arrazo nas rima hoje)
eu agradeço ao nosso pai celestial por nos ajudar nessa jornada, por nos orientar a sermos melhores um com outro e com os outros. 💚
amo você, passarin. 
🐦

att,
sua namorada linda.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

em poder e andamento.



.
que mulher nunca disse ou nunca ouviu outra dizer que prefere amizade masculina? mulher é sempre vista como falsiane, como concorrente, como vagabunda, como oferecida e como aquele ser que não deve ser mencionado. confesso, que já fui assim e até hoje luto pra evitar meus instintos machista opressor. 
de fato eu nunca tive muitas amizades femininas, mas isso foi acontecendo sem que eu me desse conta, a começar pela minha casa que não havia meninas com quem brincar. dei preferência para os carrinhos e gol-a-gol. a infância passou, porém as preferências e preconceitos se mantiveram por anos a fio. 
se teve algo que aprendi nesse ano de dois mil e dezesseis foi que: MULHER É UM SER MARAVILHOSO! (insira aqui vários corações verdes) 
de modo algum nego a complexidade que envolve qualquer ser humano. o segredo tá em parar de tentar entender a mulher e aceitá-la como é. defeitos todos temos, mas se tu não dá uma chance nunca irá conhecer o perfume por trás do nosso mecanismo de defesa. nunca haverá um manual de instrução, pelo simples fato de que não somos objetos! tempos TPM sim, quem não tem? atire a primeira pedra aquele que nunca esteve sob o controle dos hormônios, é claro que precisamos mostrar que o controle não os pertence. 
uma desconstrução de cada vez e assim fazemos auto-revolução.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

com (in)sulta - o retorno.

.
- senhor Robert, favor comparecer a recepção.
(...)
- SENHOR ROBERT, FAVOR COMPARECER A RECEPÇÃO.
- opa, opa, opa, opa ...
- cansou?
- quem parece cansada é tu, encontrou o caminho de casa quando?
- isso mesmo, debocha mais que eu espero.
- é um deboche com saudade, batatinha.
- podemos ir ao que interessa?
- tudo aqui interessa, a começar pelo sumiço.
- pensei que o papel de maria-do-bairro fosse meu.
- itu não pode emprestar um pouco?
- não hoje.
- já deitou?
- ficarei de pé.
- então não escuto.
- eita que anda muito marcriado (olhos revirados)
- deitou?
- deitada, esticada e só faltou uma coberta.
- pronto, não falta mais.
- obrigada.
- veio reclamar do final do semestre na faculdade?
- sempre adivinhando as coisa.
- não me enrola que eu sei que tem mais caroço no angu.
- se sabe, tá perguntando por quê?
- porque é divertido.
- não vejo diversão alguma.
- tive uma ideia!
- pode contar, não sou de adivinhar como você.
- vamos na praça tomar sorvete e deixa os problemas pra mais tarde.
- mais tarde quando?
- quando tu quiser voltar de novo.
- vamos e tento não demorar.
- trato feito.

domingo, 6 de novembro de 2016

jardim inteiro.




.
vamos deixar rolar, escorrer pra fora aqueles sentimentos floridos que estão causando superlotação no pulmão.
 não esconda os cravos, não oculte os espinhos e nada de cortar os raminhos. venha como girassol, como margarida ou orquídea. 
sou analfabeta no ramo da floricultura, mas me admira vossas alturas. pode até parecer devaneio, mas sei que você tá até imaginando o cheiro. 
seja pra cultuar, seja pra enfeitar ou então enlutar. 
guarde apenas os brotos e que sejam como sementes nossos dentes.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

primeiro parágrafo.




.
se você procura alguém pra passar a vida junto porque tem medo de ficar SÓ, quando a velhice chegar, eu venho lhe dizer que a solidão vai te abraçar com unhas e dentes. porque o outro não pode preencher um vazio que somente a gente pode preencher. solidão é um estado de espírito e talvez seja por isso que eu sempre caguei quando eu ouvia alguém dizer que eu iria acabar sozinha. pior do que procurar um relacionamento afetivo por medo da solidão é parir um filho na esperança de que ele nos cuide quando a nossa vitalidade escorrer pelas fraldas geriátricas. porque não podemos depositar em outro aquilo que fazemos por eles, não é ingratidão é apenas o curso da vida. talvez, com sorte ou alinhamento certo dos astros você chegue nessa situação com o coração tão cheio e com a alma tão plena que ao quase final da vida você terá alguém do seu lado, quem sabe uma outra mão tremula e memória de dory ou então braços repletos de vitalidade e graça. fato é que a nossa solidão só precisa da nossa companhia para não causar vazios existênciais nossos companheiros precisam ser aquele bônus extra que a gente encontra no pacote de biscoito e não mais uma necessidade que compramos no mercado.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

com texto.




.
é tanta coisa pra contar que já nem sei como começar. 
o que vale a pena relatar?
 e que deixarei pra lá. 

tem coisa que realmente não muda,
 como minhas rimas absurdas.

há algumas novidades,
como as fotos tiradas em outra cidade.

um passo,
um pré texto
sem fugir do contexto.


ré.



.

repetidamente, 
repentinamente, 
repete a mente.

terça-feira, 10 de maio de 2016

de visão.



.
maio.
maiô.
má í ô.
maí ô.
mái iô iô ...

terça-feira, 22 de março de 2016

sapatilha 37.




.
o que relacionamento tem a ver com calçado? TU-DO!
você nem estava precisando ou procurando, mas a vida vem e te apresenta aquele calçado que faz seu coração coçar da alegria. claro que você não vai metendo os pés pelas mãos e agarrando ele de vez pois tem medo de que não seja seu número. então aos poucos você resolve se aproximar, vai se deixando usar por uns dias sim e nos seguintes também, até perceber que lhe cabe por completo. 
então, você percebe que já não consegue mais andar descalço, porque dói o pé - ou coração, mas eu tô falando de sapato. mas também não é bacana só conseguir usar seu sapato favorito se estiver usando band-aid. porque sapato bom mesmo é aquele que você usa todos os dias e não se cansa, nem mesmo depois de anos. sapato bom mesmo é aquele que não importa qual moda a galera tá usando, ele sempre será a sua escolha. sapato bom mesmo é aquele que não importa a distância percorrida, seus pés sempre estarão confortáveis. caso contrário, é melhor jogar fora e esperar por outro ou então ficar descalço e sentir novas sensações.

sexta-feira, 18 de março de 2016

divina comédia.





.
às vezes tenho a sensação de que já faz tanto tempo e em outros momentos eu percebo que ainda estamos no começo. naquele começo que todos dizem que tudo são flores, mas eu acho que já superamos tantos medos, tipo: o meu de compromisso ou o seu de se apegar demais. tantas diferenças que se juntam numa sincronia tão perfeita que não consigo imaginar como seria ter que lidar com as coisas sem você. 
você tem sido a minha companhia favorita, aquela que eu sempre quero por perto - até mesmo quando falo que tu deveria passar uns dias em casa. você é aquela pessoa em que eu penso e escapa um sorriso frouxo dentro do transcol lotado. você é a primeira pessoa que me vem a mente quando tenho alguma ideia. você é a pessoa com quem eu sempre quero comentar as notícias e bafões. 
a saudade tem feito morada no nosso coração desde o princípio, mas eu notei que ela veio pra ficar porque eu a sinto mesmo quando sei que posso levantar e te encontrar na cozinha. eu sei existir sozinha, desde que sua perna esteja ao alcanço da minha. 
obrigada por me ajudar a ser melhor, obrigada por não ter se acomodado na minha bagunça, obrigada por ter me tirado da zona de conforto e segurado a minha mão, obrigada pelas suas surpresas criativas, obrigada por sempre comprar nescau quando eu vou te visitar, obrigada por sempre trazer um bombom na volta da padaria, obrigada por me deixar te cuidar,obrigada por sempre fazer o café quando eu preciso levantar 5:50 da manhã, obrigada por sempre gostar da minha comida - mesmo quando tá sem sal, obrigada por me ajudar a não deixar a peteca cair, obrigada até pelas sms à cobrar, obrigada por sempre demonstrar seu imenso amor, obrigada por sempre me olhar com afeto e desejo, obrigada por ser esse companheiro maravilhoso.

eu amo muito você, Eric Coutinho e quero continuar a escrever nossa história todos os dias. 

att,
sua amada.

terça-feira, 8 de março de 2016

seja, como flor.




.
o dia das mulheres está dando seus últimos suspiros e assim como toda e qualquer data comemorativa eu tive que ler/ouvir alguém dizer que deveria ser todo dia e não só numa data específica. e eu só tenho algo a dizer: CALEM! SE CALEM, SE NÃO VOCÊS ME DEIXAM DOIDA.!
eu gosto de datas comemorativas! foda-se que alguns se aproveitam pra ganhar dinheiros com isso, afinal de contas sempre tem gente querendo ganhar algum trocado em cima de qualquer coisa mesmo. será que isso é suficiente para tirar a graciosidade que certas datas possuem? será que são só os comerciantes que paganizam as celebrações? 
o mundo não tá mais ou menos chato, o mundo tá mudando! tem tradição que precisa ser quebrada sim, tem piada que não tem graça mesmo, tem machismo entre nós sim, tem racismo em muitos corações sim e é preciso falar sobre isso. não só quando nos dão uma data especial, mas principalmente nelas. 
há tantas coisas que deveríamos fazer todos os dias e não fazemos, seja por culpa da correria ou pela mente esquecida. celebrar algo em um dia especial não quer dizer que nos outros ele será banal.