quarta-feira, 31 de julho de 2013

(des) interessante.



.
desde que Maria Elis faleceu a produção caiu, a imaginação diminuiu e só restou particularidades desinteressantes. Maria era tão versátil, comunicativa - estava sempre acompanhando, lendo e comentando nos blogs - e estava sempre a publicar alguma coisa. há mais de um ano eu não consigo publicar mais do que 3 textos em um mês e hoje eu me surpreendi com a quantidade que eu já publiquei desde o dia primeiro-de-julho-de-dois-mil-e-treze. andaram me dizendo que isso daqui tá que é uma tristeza, eu sei. por favor não fiquem daí pensando que sou uma pessoa infeliz, tudo aqui é só o lado exterior da minha moeda. do lado de dentro bate um coração muito feliz, mas é que a tristeza me alegra. Maria não era assim, ela sorria e vivia a planejar finais felizes para seus personagens. quem é que não sente saudade daquela cabrita? eu sinto todos os dias e quando a lágrima quase me chega aos olhos eu lembro que ela ainda vela por mim e que enquanto assim for eu continuarei a escrever. mesmo que seja só coisas particularmente desinteressantes, é.

domingo, 28 de julho de 2013

cor, vadia.



.
às vezes por medo de parecer chato a gente se acovarda. colocamos o sentimento na sacola e vamos embora. esquecendo que essa atitude nos deixa uma situação de risco, porque pior do que conviver com gente chata é conviver com gente que se acovarda. gente que não se expõe por medo ou preocupação. gente que acha que é melhor deixar pra lá do que ajeitar. 
reclamar é tão simples e automático.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

um dedo de prosa [59]



.
Ele: eu te amo!
Ela: eu sei.
Ele: e por que não corresponde?
Ela: eu disse que sei, não que sinto.
(...)

quinta-feira, 25 de julho de 2013

daquilo que não se vê.



.
há quem pense que ter fé é sinônimo de fraqueza e ignorância. há ainda quem acredite que ter fé é só uma maneira de tentar encobrir os defeitos-de-fábrica. há quem julga a fé como uma forma de prisão. 
 ter fé vai além das nossas meras definições, ter fé vai além da nossa imaginação, ter fé não te proibi de pensar ou questionar, ter fé te torna livre para abrir mão do não-necessário, ter fé faz você enxergar o que não existe, ter fé é acreditar naquilo que se espera, ter fé te faz acreditar que os seus defeitos-de-fábrica podem ser reparados - mesmo que eles continuem a existir dentro de você -, ter fé é a esperança do pessimista, ter fé te torna tão forte ao ponto de você reconhecer o quão fraco é e ter fé é saber que a estrada vai além do que se vê!

quarta-feira, 24 de julho de 2013

há parecer.



.
eu me disfarço em texto e prosas. me infiltro em meio aos personagens para esconder minha identidade. oculto minhas vergonhas as expondo em teorias desvalorizadas. me escondo atrás das rimas. sou tão eu que as pessoas nem conseguem perceber ou notar a semelhança. quando sou vista de longe sou amada e quando chegam perto percebe que não é tão fácil assim. grito alto os meus defeitos e me esqueço que é necessário preparar o caminho antes. de um jeito extravagante eu sou tímida. e quando você pensar que tá me conhecendo descobrirá que ainda vou me revelar.

terça-feira, 23 de julho de 2013

faixa 105



.
- dos dedos vem o arranjo que eu quis,
dos lábios vem cebola e fel. ()

só no.



.
me deitei pra dormir e senti que faltou algo. não, não foi o sono em si, porque ele me acompanha desde que nasci. faltou um cafuné, uma estória ou um conto qualquer. me fez lembrar das noites em que eu compartilhava a cama com a minha santinha, não que ela ficasse lá me contando estórias ou fazendo cafuné até eu dormir, mas ela ficava acordada até perceber que eu já estava no país-das-maravilhas, sempre atenta a qualquer pedido-da-madruga (sim, ela acordava de madrugada pra buscar água pra mim e pra acender a luz do banheiro, não é uma linda?). a maioria das vezes o sono me nocauteava no sofá, enquanto eu tentava ultrapassar o limite da hora de dormir, de um jeito milagroso eu aparecia no aconchego do meu canto na cama, com a minha coberta protegendo as orelhas e livre para me divertir no país-das-maravilhas. hoje isso não acontece mais e talvez é por isso que não tô dormindo, porque precisei me levantar do sofá e me dirigir sozinha até a cama. o encanto se quebrou e com isso não consegui meu passaporte, por enquanto ...

sexta-feira, 19 de julho de 2013

planta ação. /2



.
meu limão, meu limoeiro. 
meu pé de jacarandá.
faz nascer o arco-íris depois que essa tempestade passar.!

segunda-feira, 15 de julho de 2013

teo, ria.




.
como toda e qualquer pessoa encalhada solteira eu fico do meu trono-de-solidão observando aqueles que tem o desprazer de ser par com outro. os casais só se juntam para tirar fotos (porque é importante expor na internet que você tem alguém e que esse alguém fingi que te ama do mesmo jeito que você também fingi o ama de volta) e trocar salivas. tá raro de se encontrar casais que são amigos, companheiros, confidentes e apaixonados. hoje o que importa é o status numa merdinha de rede social. conheço vários casais casados que ao invés de fazer coisas de casados (sim, de sexo até discutir onde irão passar o próximo feriado) ficam no facebook compartilhando foto de cachorro-sem-perna ou então de bebê-que-precisa-daquela-curtida-pra-ganhar-porra-nenhuma. namorados se sentam na mesa de uma lanchonete e ficam trocando mensagens no whatsapp ao invés de se preocuparem se outro tá assim ou assado. fato é: todo casal que fica arrotando felicidade na internet é corno,de coração vazio e não dura mais que uma estação, porque pra ser par com alguém você só precisa de UM alguém e não uma sociedade-invejosa-e-encalhada, anota aí!

domingo, 14 de julho de 2013

roots before branches.



.
e você planeja com todo cuidado e amor os detalhes do seu futuro, que começou a partir da doce convivência, que em breve será a dois. escolhe flores da decoração, a cor da maquiagem e como será a lua de mel. sonha em viver o romance que foi de seus avós, que tiveram filhos e então chegaram a sua geração. pensa em como serão os almoços de domingo ou os feriados. almeja todo amor e afago que um casal possa ter. crê de todo coração que a solidão será só mais uma palavra avulsa do dicionário. perde o fôlego e até o sono só de lembrar que a data querida está chegando. borboletas e mariposas festejam dentro do corpo. está tudo quase pronto. e assim continuará, o quase felizes-para-sempre, o quase dia perfeito, o quase desejo realizado, o quase sempre antes de tudo que um dia viria. porque a morte veio e não pediu licença, jogou para o vento todos os planos e desejos, não se preocupou com o que viria. veio sem demora e em silêncio. e a única pergunta é: e agora, José?

sábado, 13 de julho de 2013

um dedo de prosa [58]



.
Ela: e aí, rola ou não rola?
Ele: agora é assim?
Ela: o que?
Ele: que se chama alguém pra jogar bola?
(risos)

sexta-feira, 12 de julho de 2013

mimimi.



.
a verdade é que os homens da minha vida estão namorando-noivando-e-casando e eu continuo aqui. fazendo votos, escolhendo decorações, montando playlist e sozinha. pode parecer drama, na verdade é drama sim. às vezes me assusto com o passar dos dias, principalmente com a solidão que eles são. não, eu não ando sozinha, mas sei lá como explicar. as pessoas carentes, sozinhas e que estão no frio me entenderão - eu espero. eu disfarço o meu vazio e ando de mãos dadas com a solidão, porque por mais que eu tente é a única companhia que eu consigo ter. as pessoas se sentem 'em casa' comigo, mas não para um relacionamento. sô aquela garota divertida, estranha e que no final de tudo se transforma na amiga conselheira. nem sei se sô eu quem estou escrevendo isso ou se é o frio ou a música que tá quase me ensurdecendo pelos fones. uma coisa é fato, tudo aqui é verdade, visto com uma lente de aumento, mas não deixa de ser verdade. o que me resta? beber o vinho barato da minha mãe, comer chocolate e continuar esperando o príncipe encantado me stalkear-me-adicionar-me-propor-em-casamento-e-ser-feliz-pra-sempre, só.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

(as) pirante.



.
A gente ainda não se conhece, mas posso te garantir que o amor que sinto por ti já faz morada dentro de mim. A gente se escolheu, porque o amor tem dessas coisas, ele acontece e faz a gente feliz. Quero todo dia poder demonstrar o meu sentimento por você, em todos os momentos. Que você nunca coloque em prova ou em dúvida o amor que sinto por você. Não se deixe levar pelas malícias de uma sociedade hipócrita e invejosa. O meu ‘não’ e o meu ‘espere’ serão para o seu bem, meu bem. Você é e será sempre o meu maior tesouro. Não poderei te livrar te todas as dores do mundo, mas lembre-se que o meu colo e o meu afago estarão sempre a sua disposição. Quero te passar tudo que sei e quero aprender a cada dia com você. Tentarei ao máximo ser o seu melhor exemplo, mas não me cobre a perfeição. Quero e serei o seu refúgio, sua melhor amiga e o pesinho-do-seu-balão. Te mostrarei a realidade sem sugar sua imaginação. Te contarei histórias, estórias e te inventarei várias lorotas antes de dormir. Zelarei pela sua saúde e pela sua educação. Te apresentarei meu seriado favorito, as melhores músicas e os filmes mais legais que existem. Vou te ensinar que nescau é melhor que toddy e que café é um presente de Deus! Te usarei como personagem dos meus textos, na verdade você será uma fonte inesgotável de inspiração. Comeremos brigadeiro com sorvete e misturaremos leite condensado com grill na pipoca. Iremos dançar na chuva e nos dias de chuva. Digo e repito, sempre te amarei. Você é e sempre será o meu maior tesouro.

Com amor,

Mainha.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

o fim do começo.



.
acabou as piadas.
acabou o assunto.
acabou o sorriso.
acabou o frio na barriga.
acabou a tremedeira nas pernas.
acabou o brilho nos olhos.
acabou os sonhos.
acabou a paixão.
acabou o desejo.
acabou o eu.
acabou o você.
só restou o nós.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Vila Velha, 03 de Outubro de 2015.


.
hoje é um dia terrivelmente especial. é hora de sair, definitivamente, debaixo da barra-da-saia de minha Santinha e cortar o cordão-umbilical com mainha. a partir de hoje serei sócia do meu próprio barraco, ajudarei a organizar/pagar as contas e irei comandar as faxinas. terei de assumir a minha posição de adulta, mas não será necessário deixar de lado as vantagens de ser uma eterna adolescente (risos). agora eu serei dois em um. não responderei mais no singular, meus verbos serão conjugados na primeira pessoa do plural. aprenderei a passar e ensinarei que purê-de-batata é um majá! manterei um enxaguante bucal na cabeceira e desejarei 'bom dia'. assim será de janeiro a janeiro, até o mundo acabar.