terça-feira, 27 de setembro de 2011

ato cinquenta oito.

.
De repente bateu aquela vontade de mudar, não só a aparência/nome do blog, mas dentro de mim. Mais uma das minhas várias mutações acontecendo - quem conhece sabe. Começo achar que tudo que eu faço é errado, que preciso dar uma volta de 90º na vida, ficar de cabeça para baixo - pra vê se tudo que é desnecessário cai, me deixando com os bolsos livres. Eu sei, não foi tão de repente assim, porque tudo começa de um jeito pequeno/menor/insignificante e vai se tornando grande/maior/significativo. Nunca sei dizer quando é que essas coisas nascem, só me dou conta quando elas começam a ficar visíveis e palpáveis diante de mim. Tenho pra mim que elas estão sempre acontecendo, tipo agora, enquanto eu me preocupo com uma mudança, outra já tá nascendo em algum lugar dentro de mim, só esperando o momento oportuno de aparecer e fazer acontecer. Minha mãe diz que eu mudo muito rápido, que eu deveria me firmar em alguma coisa - eu já estou firmada em Jesus e o resto foi feito para ser variado e trocado. Dias atrás eu estava querendo me lembrar de todos os nomes que esse blog já carregou e me toquei que não lembro nem de cinco - isso porque o blog só tem um ano, duas semanas e um dia. No começo eu fiquei triste, arrependida por não ter anotado em algum rascunho velho, mas essa marola de mudança me disse que o que passou passou e o vento não carregou. Ainda tenho meus textos, mesmo que sem contexto  e é isso que vale. Acabei de me tocar que eu parei com a mania de mergulhar no passado, com essa coisa de ficar relendo e relendo postagens antigas. O que não quer dizer que eu nunca faço isso, até mesmo porque às vezes eu mesma preciso me ler e me ouvir - prova disso é que eu voltei a assinar as postagens com meu sobrenome, já que Maria Elis se foi. Fato é que estou chegando a conclusão de que somos uma nova pessoa a cada dia, mas falarei disso outro dia - sinto cheiro de uma nova teoria barata.

- a casa fica bem melhor assim.

4 comentários:

renatocinema disse...

Não fique triste. Não canse de mudar. Só não deixe essa pessoa, você, morrer..ela é mágica e encantadora.

Renan Mendes disse...

Tuas teorias baratas são tão úteis, não sabe o quanto.

Marcelo R. Rezende disse...

Tudo ficou muito lindo por aqui, incluindo a poesia envolta. Uma atmosfera que eu quero ver sempre.

Caroline disse...

Adorei o post, disse muitas verdades e o blog só melhora, sempre que você o refaz. Está ótimo assim;