quinta-feira, 14 de outubro de 2010

des(ordem)


.
Hoje eu acordei com vontade de colocar minha vida em ordem, e como sempre comecei pelo meu guarda-roupa. Pode parecer até estranho, mas a minha vida é muito semelhante ao meu guarda-roupa, do mesmo jeito que a sua se assemelha ao seu, entendeu?! (que seja)
O primeiro passo - o mais importante - é: a vontade. Depois é só chegar chegando, tirando tudo de dentro e colocando em cima da cama, da mesa do computador, da cadeira ou até mesmo no chão. Não sei você, mas eu consigo tirar tudo numa velocidade bem grande, nem olho o que tenho na mão. Quando vejo o guarda-roupa liso e vazio, penso: agora sim, é hora de colocar a mão na massa. 
Pego um pano qualquer pra tirar a poeira e as teias de aranha. Até então, tudo muito bom e tudo muito fácil, o bicho pega e o medo apega no próximo passo: separar o que serve e que não serve mais, o que merece voltar pra dentro do guarda-roupa e o que será jogado fora, abrir mão de algumas notas fiscais e caixas vazias. O momento é de decisão e cada escolha feita, será sem volta, pois o lixeiro vem e carrega tudo.
Eu tenho uma coleção de caixas de sapato, uma coleção de latas de nescau, uma coleção de caixinhas de tic-tac, uma coleção de chaveiros, pra resumir: eu coleciono coleções. Sempre que é dia de organização no recinto, troco todos de lugar, mas  nunca abro mão de nada. Quer dizer, nunca até hoje, quando resolvi abrir mão das caixinhas de tic-tac e das notas fiscais da padaria.
Fato é que jogar algo fora, seja do nosso guarda-roupa ou da nossa vida, não é fácil. Não sei você, mas eu tenho um sério problema com isso, nunca estou pronta pra dizer: - adeus/até nunca mais. Nesse momento não é necessário só coragem, é preciso uma dose maior de insanidade, fazer a coisa sem pensar muito ou até mesmo sem pensar. Talvez o arrependimento venha esmurrar a sua porta, daí é só você colocar uma música no último volume e pensar que o novo em breve chegará.
Lembre-se: o assunto aqui é o guarda-roupa, do coração falaremos em outra ocasião.

# às vezes, só (boa) vontade não basta.

7 comentários:

Luciana Matos disse...

Te entendo gata. Te entendo muito. rs!

Josefina disse...

ainda bem que minha vida não é como meu guarda-roupa.. .---.

dear sarah disse...

As vezes nem dá vontade de arrumar , se acomodar.

Au disse...

Se minha vida fosse baseada na maneira como arrumo meu guarda roupa seria uma bagunça!
E, não sei você, mas quando pego para arrumar essas coisas, passam cinco minutos e eu já me arrependi de ter começa. :P

Monique disse...

Sou super desorganizada, e agora to me dando um jeito,tentando colocar tudo ordem. Desse modo parece que as coisas se facilitam ... pelo menos aparentam.rs
Um beijo, linda (:

Marina Mbrs disse...

Engraçado ler isso. Me vi tirando tudo no armário e visitando as minhas neuras. O que difere é que me arrependo imensamente de não ter jogado quando vi que para nada servia, eu fico com tudo e depois não vejo a hora de me livrar. De qualquer forma, gostei muito. Essas semelhanças universais unem mesmo as pessoas, rs.

Natália disse...

Meu guarda-roupa está organizado faz quase um mês já, to achando milagre até. beijo