terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

in capacidade.




.
a dor que te assola o coração, infelizmente, eu não posso conter. o medo que te atormenta a mente, infelizmente, eu não posso deter. as preocupações que te tiram o sono, infelizmente, eu não posso evitar. as incertezas que tiram o chão, infelizmente, eu não posso calçar. as garantias que você está a procurar, infelizmente, eu não posso dar. o avesso que sua alma está, infelizmente, eu não posso consertar. a aflição que abraça seu espírito, infelizmente, eu não posso soltar.
mas eu posso ficar, te escutar e te preparar um café ou quem sabe um chá. 

Nenhum comentário: