quarta-feira, 25 de março de 2015

azedume.




.
me acostumei tanto a ser sozinha que às vezes eu não consigo entender a necessidade que algumas pessoas possuem por uma companhia. com o passar dos anos eu fui notando que existe uma classe de gente que de fato não nasceu pra ser sozinha, que precisa de alguém e se esquece de que precisar de alguém é a coisa mais patética do universo. porque precisar de alguém não te deixa escolha, você aceita a primeira companhia que aparece e nem se preocupa se isso te fará bem. o importante é não ser visto sentado sozinho numa poltrona de cinema ou então numa mesa de bar. a rotatividade é tão grande que os sentimentos são atropelados e jamais aproveitados. se remenda romances fracassados com relacionamentos fingidos. não se vive o luto, não se aproveita da própria companhia e muito menos há tempo para se descobrir. jogamos nos ombros alheios a incumbência de nos preencher de toda felicidade terrena, seja ela embalada com rótulos vermelhos ou noitadas viradas. a culpa nunca é nossa, foram os outros que não souberam aproveitar nossa maravilhosa companhia. queira alguém, mas jamais a torne uma necessidade, caso contrário você ficará sem liberdade.

Um comentário:

JEAN MARS disse...

Vou mandar este texto pra um amigo que precisa de ajuda neste sentido, ok?