quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

quatro.



.
Mil coisas se passaram na cabeça dela. Ela não sabia o que responder, porque pensava não saber do que ele estava falando. 
- Andou pesquisando a minha vida na internet?
Soltou um sorrisinho, porque não queria nenhum clima ruim.
- Quase. A verdade é que eu ouvi sua mãe gritar seu nome completo, segundos antes de você entrar no elevador.
Ele também riu, porque não queria deixá-la constrangida.
- Touché. Vinhemos aqui pra beber ou pra conversar?
- Podemos fazer os dois, se você não se importar.
- Você vem sempre aqui?
- Só todos os dias.
- Alguma dica?
- Você seria capaz de confiar em um estranho?
- Surpreenda-me!
Uma piscadela e a garçonete já estava de prontidão para anotar os pedidos. 
- Pronto, agora a gente pode conversar?


8 comentários:

Caroline disse...

Tô ficando louca por essas personagens. Tô adorando a história!

Isadora Peres disse...

Ai, quero topar com um estranho assim! hahaha. Esses diálogos são deliciosos, um encanto só!

Beijos, Fran.

renatocinema disse...

kkkk.

Me lembrei de Penny, garçonete da série The Big Bang.....você me perdoa? kkk. Eu amo a série.

Renan Mendes disse...

E eu quero ler a história toda, aí tu ficas fazendo o povo sofrer com a curiosidade. Culpa tua escrever tão bem.

Thamires Figueiredo disse...

Escrreve mais #tôcuriosa

;*

Inercya disse...

Posso conhecê-lo? Já me encantou! *-*

Carolina Rosseto disse...

aguardo anciosa pelo Cinco! :)

Gabriela Freitas disse...

Está apaixonante.