quarta-feira, 16 de novembro de 2011

ato cento e quatro.



.
Um encontro casual se tornou frequente e rotineiro. Quem poderia apostar que daquele rápido encontro iria brotar um relacionamento sólido e duradouro?! Confesso que até eu tive as minhas dúvidas. Não me culpe, porque hoje em dia nada dura, muito menos relacionamentos. É só olhar para os lados, ou então para esses blogs da vida, que você encontrará gente reclamando e dizendo que está só na solidão. 
Sou da tribo que qualquer silêncio é desculpa para fazer tempestade em gota d'água, é isso mesmo. Me mandou um 'hm' depois que eu escrevi um texto, logo penso: NÃO ME AMA MAIS. E haja lenço de papel pra limpar as melecas que se misturam com as lágrimas - sô nojenta. Um dia longe e meu coração já batuca o samba da saudade. É sempre assim e às vezes o samba cai no esquecimento, para que eu possa seguir em frente. 
Daí, outro dia se passa e lá está a outra banda do relacionamento. Me mostrando que tudo não passou de um equivoco e que eu deveria deixar minhas paranoias de lado. Tudo continua a ser como sempre foi. A intimidade está intacta, sem nenhuma rachadura ou brecha. A cumplicidade vestindo a roupa de todos os dias. E o afeto estreando a roupa que usou no primeiro encontro.
Fato é que cada um tem um relacionamento assim, daqueles que acontecem para sempre - mesmo com a distância, mesmo com a ausência, mesmo com o silêncio, mesmo com as pausas - e pronto cabô. Se você diz que não é porque você é um/a bundão/bundona orgulhoso/a, simples assim.

# quem vê cara, não conhece a coroa.

10 comentários:

Thaina Farias disse...

Ainda bem que não sou uma bundona orgulhosa, rs.

Passando aqui para dizer que gostei o texto e do blog. E é tudo.

Beijos!

renatocinema disse...

Eu gosto das duas: cara e coroa. kkk

Gabriela Freitas disse...

"É sempre assim e às vezes o samba cai no esquecimento, para que eu possa seguir em frente.
"
É exatamente assim.
Quando eu crescer quero escrever feito você, moça.

Henrique Miné disse...

mesmo com o fim, quem sabe.

beeijos.

Maria Midlej disse...

Até depois, a gente não pode prever. rs

:)

Thamires Figueiredo disse...

"Fato é que cada um tem um relacionamento assim, daqueles que acontecem para sempre"

Isso mesmo, igual ao meu por você s2

Renan Mendes disse...

verdade, o texto inteiro.

bom, pelo menos pra nós dois.

Caroline disse...

Sou dessas também, um drama à parte.
Adorei o post.

Marcelo R. Rezende disse...

Simples assim. Lindíssimo.

Inercya disse...

As paranoias sempre batem na porta. Da próxima vez, não as deixe chegarem perto. São malvadinhas.
:*