quinta-feira, 24 de abril de 2014

até deixar de ser.




.
essa mania de querer que tudo dure pra sempre sempre tira a graça de alguns acontecimentos, e ainda traz de bônus uma bagagem de mão chamada: decepção.
 quando encontramos uma música que nos transporta para um mundo paralelo a gente não quer que ela chegue ao fim, colocamos no repete com a esperança de estender ao máximo nossa viagem. o mesmo acontece com os livros, a gente devora os primeiros capítulos e quando as últimas páginas se aproximam o coração já começa a sentir o vazio que a última palavra vai deixar. daí a gente volta e reler o livro tantas vezes ao ponto de decorarmos todas as frases. fazemos o mesmo com as roupas favoritas, os sapatos mais confortáveis, a bolsa que já contém tudo que precisamos, e tantas outras coisas. até ai tudo bem, tudo legal e aceitável. qual o problema em querer prolongar as coisas? realmente nenhum. 
a decepção vem quando tentamos fazer isso com nossos relacionamentos pessoais. conhecemos alguém e queremos que ela seja pra sempre. queremos um relacionamento perfeito, que se encaixe nos padrões fifa de felicidade. nos apaixonamos pelo conjunto de qualidades e defeitos rezando pra paixão nunca passar. queremos sentir os rins sorrirem todas vezes que o celular vibrar na madrugada com uma sms ou então nos surpreender com uma ligação matinal e não queremos isso por pouco tempo ou por quanto tempo durar. temos pressa em querer o pra sempre e esquecemos que ele é feito com momentos do hoje e não do amanhã. 

2 comentários:

Waldembergue Dantas disse...

esse é de fato, um dos textos mais lindos que você já lançou na blogosfera! <3
ô mania, essa de se apegar fácil e querer prolongar as coisas boas... precisamos dar mais valor aos momentos. cada um, é importante.

obrigado por escrever o que eu tava precisando ler.

sou teu fã! <3

Inercya disse...

Lembrei da música:

"Se lembra quando a gente. Chegou um dia a acreditar. Que tudo era pra sempre. Sem saber. Que o pra sempre. Sempre acaba."

A gente esquece que o pra sempre não existe e tenta enxergar o futuro a partir disso. Daí vem a decepção como você falou, e a queda é grande. :(