sábado, 4 de maio de 2013

condicionar a dor.

.
e esse é o nosso mês de aniversário. há cinco anos você apareceu para mudar a minha vida e trazer uma chama de esperança de que as coisas poderiam dar certo. o tempo foi passando, o sentimento crescendo e com ele os problemas. no início a  gente ignora tudo e segue em frente, mas acho que o nosso início já teve fim. teve fim quando as desconfianças começaram e as cobranças vieram na garupa. não, eu não irei te culpar, me justificar ou me desculpar. eu sou assim, amo e me apaixono todos os dias. depois de você eu amei mais de mil, mas nenhum deles impediu o meu sentimento por você de acontecer e sobreviver. quando eu disse que estava disposta a te esperar eu estava falando sério, só não podia te esperar sozinha. a gente se dava tão bem, mas daí o ciúmes chegou e foi devastando tudo. você foi ficando cada vez mais desconfiado e com isso eu me via na obrigação de esconder as coisas de você. eu sei que não é certo, mas era isso ou uma discussão nova a cada conversa. no começo você era meu amigo, aquele pra quem eu podia contar meus segredos/medos/pecados e daí você quis o cargo de futuro marido. eu também queria que você assumisse o cargo, não consigo imaginar um marido melhor, mas se comportar como marido antes do casamento não era o que a gente precisava. teríamos tanto tempo para isso, para fidelidade, para singularidade e todas aquelas outras coisas de casais, por que diabos tu colocou o carro na frente dos bois? você é a minha lembrança favorita, a minha trilha sonora e o amor que eu sempre esperarei ter. adeus, você.

6 comentários:

Renan Mendes disse...

Acontece, flor.
Pelo menos pra texto bom isso serviu.

Segue em frente, procura melhor(ar).

Thamires Figueiredo disse...

Super me identifiquei com seu texto, meu amor.


Beijos

Henrique Miné disse...

tá vendo, não sei pq diabos as pessoas tem tanto medo de libertar o amor, pq tem essa necessidade tão grande e doentia de posse. só fode com tudo,

um beeijo!

Nati disse...

Quando começamos qualquer coisa temos que ter em mente que nada é pra sempre. Beijos


Mundo de Nati
@meuamorpravoce

Maria Midlej disse...

àsvezes é mais interessante viver o amor aos pouquinhos, sem se agarrar no futuro, nos planos. Muitos não confiam em quem não faz planos, eu já os prefiro.
Porque quando não há nada sendo esperado, o que vem é só prazer.
Seutexto doeu, porque nao tem final feliz. É verdade demais...

JEAN MARS disse...

saudades de ser todo ouvidos pra você...