terça-feira, 23 de abril de 2013

ato cem e sete.



.
então é isso mesmo: sou apaixonada há oito anos por um rapaz que me ensinou a gostar de barba, gosto gosto de outro rapaz que estuda comigo e planejo me casar com nenhum dos dois!
 não há satisfação para se tomar e nem prestar. confesso que às vezes quase sempre me pego na condenação por viver assim, mas depois o vento passa e eu percebo que é melhor assim do que assado. tem culpa eu? não tenho organização com nada nessa vida, por que esperar que a minha vida amorosa seja organizada e exemplar? as pessoas não conseguem entender e eu nada posso fazer. sou a regra dessa exceção chamada relacionamento. planejo minha felicidade conjugal, mas não desse jeitinho banal.
 minha paixão e nem o meu gostar me impedem de olhar para os lados. e ai daquele que duvidar dos meus sentimentos! não quero e nem preciso provar nada pra ninguém, porque quando se precisa de prova é porque o sentimento não é suficiente e se não é suficiente é melhor largar, só eu ou você também se perdeu nessa curva?


Um comentário:

Dani disse...

Temos que ver todas as possibilidades, não é? rs

Beijos