quarta-feira, 26 de setembro de 2012

ato duzentos.



.
após dois anos - na verdade foram vinte e um meses mas eu sou do tipo que arredonda as coisas e na grande maioria para mais - de afastamento, ontem eu voltei a sentir o gosto amargo que só o café forte tem. tô pra conhecer aroma melhor, isso sem comentar sobre o sabor. sabor que não dura só enquanto o líquido preto escorre garganta a dentro, o gosto te acompanha até você escovar os dentes ou então chupar uma bala qualquer. ontem foi como um primeiro encontro, como o primeiro beijo. aquele que a gente fica revivendo a todo instante nos pensamentos, tá ligado? agora tô aqui, diante de uma big caneca de café com leite em pó, brincando com as bolhas que o leite forma sobre o líquido cor-de-burro-quando-foge. de ontem em diante posso frequentar qualquer cafeteria sem ficar procurando por bebidas descafeinadas. posso novamente me jogar nos braços do capuccino com chantili, coisa que farei amanhã e depois e depois de novo e mais uma vez. sim, isso aqui é um relato de uma viciada que volta ao vício ... 


6 comentários:

Maria Fernanda disse...

Não consigo imaginar um mundo feliz sem o café. Fato.


Beijinhos

renatocinema disse...

As vezes, o vício é bom.....

Marcelo R. Rezende disse...

Adoro os vícios, são nossas melhores características.

Henrique Miné disse...

recaídas, né?

pior que sua descrição foi tão boa que eu só comentei aqui depois que fui pra lá, fazer um café, haha

beeijo!

Patriny Marcelle disse...

Não sou muito fã de café, mas o cheirinho dele é o paraíso. kkk

Inercya disse...

Cappuccino é meu mais novo amor. :D