sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

cinco.



.
Dizem que quando a coisa é boa, a gente não percebe a correria dos ponteiros pelo relógio. Foi exatamente o que aconteceu com eles naquela tarde. 
- Eu nunca tomei tanto suco na vida!
- Aconselho a senhorita a dormir de fraldas hoje.
- É o que você faz?
- Às vezes.
Entre sucos e risos, eles foram se conhecendo. Ela descobriu que ele era filho único e três anos mais velho. Já ele percebeu que ela sempre batia nos joelhos ao sorrir e mordia o canto dos lábios quando ficava em silêncio.
- Você sempre sai com estranhos?
- Você sempre convida estranhas pra sair?
- Só as que eu encontro descalças pelos elevadores.
- Sei ... sei.
- Acho que a senhorita bebeu demais, vamos pra casa?
- Só mais um e nós podemos ir.
A verdade é que ela acabou tomando mais quatro sucos, faltou pouco pra ela experimentar todos os sucos do cardápio. Enquanto ela foi no banheiro - pela nona vez - ele foi pagar a conta.
Enquanto ela fechava a porta do carro, ele não se aguentou e perguntou:
- Não vai me passar seu número?
- Ele já tá salvo no seu celular.

7 comentários:

Inercya disse...

Essa história tá ficando surpreendente, hein? Adoro essa esperteza! :)
:*

Nati disse...

Pra ser perfeito não precisa ser necessariamente romântico. Tão lindo.

Beijo

renatocinema disse...

Diálogos insaciáveis e obscenos.....só você. kk.

Sou seu fã.

Dica disse...

A maneira de escrever me fez sentir vontade de ler toda a história..
O que perdi e voltar pra ler o que há por vir.

Gabriela Freitas disse...

Estou adorando, perdi as outras postagens, sumi de novo, pra variar. Vou ler agora.

Henrique Miné disse...

haha, melhor que, além de tudo, ele ainda parece ser rico, heein! :b

Marcelo R. Rezende disse...

Lindo isso. Vontade e atitude. Gosto.