quinta-feira, 15 de setembro de 2011

daquelas teorias.



.
Quando resolvi me declarar para você eu não estava assinando um contrato de fidelidade - tipo esses que somos obrigados a aceitar quando fazemos um plano de celular - ou de exclusividade. A minha intenção era encarar os fatos e deixar você participar disso. Também nunca te cobrei uma via de mão dupla, até mesmo porque a minha vontade é ser uma via única com você - será que eu preciso ser tão brega-cafona assim?!
As pessoas dizem que o que eu sinto é só um fogo de palha, e se for?! Tem algum problema nisso?! Até onde eu sei, sou livre pra amar a minha maneira. Todos somos e não aproveitamos isso. E é aí que eu quero chegar.
Tem gente que culpa os filmes americanos e as novelas mexicanas, mas a culpa é de quem se deixa levar. Se ao invés de querer um romance semelhante - porque igual você NUNCA terá - ao do livro que você anda lendo, tu fosse criar o teu próprio, a sua vida seria mais salgada. Já chega de querer seguir os padrões, quebre as regras e monte as suas exceções. Não tenha vergonha de dizer que deixou o sentimento passar, porque nessa coisa de gostar não existe contrato. Sentimentos trocam de roupa, de usuários e ninguém deve se sentir culpado/a diante disso. 
Hoje eu gosto, mas não quer dizer que irei acordar amanhã vestindo o mesmo sentimento. Talvez amanhã eu só queira. Quem sabe depois de amanhã eu volte a só gostar. Provavelmente algum sentimento sempre haverá de existir, porque somos feitos disso: sentir e mentos.

(  ) li e não aceito os termos de condição.


9 comentários:

renatocinema disse...

Nunca deixe de ser você mesma.....você é uma figurinha e isso é um elogio. De coração.

Tracy Ellen disse...

puts eu amei seu texto, e penso assim tbm da uma passada no meu escrevi um txto mais o menos assim hehe ; http://tracy-ellen.blogspot.com/ BEIJOKAS!

renatocinema disse...

feliz pacas com sua dedicatória. de verdade. AMEI.

Salvou minha complicada semana. Adoro meu blog, pois ele me apresentou pessoas legais para conhecer e me relacionar. Valeu.

Thamires Figueiredo disse...

Obrigada por escrever tudo que tem se passado aqui comigo, do outro lado ;) Grata.

Beijos, minha linda amiga :*

Marcelo R. Rezende disse...

Achei muito verdadeiro e se eu for levar meus amores ao modo do amor que tenho lido, menina, seria surreal demais.

Beijo

Suzi disse...

na verdade...se desde o momento que criamos coragem para nos declarar não estamos propondo nada ao outro. só queremos dizer o que sentimos...para que a outra pessoa saiba. ás vezes, sem esperar que o outro corresponda.

gabs. disse...

eu tô decidindo se aceito os termos --'

:*

Caroline disse...

Eu adorei esse texto, concordo com muito, se não tudo. Adorei

Inercya disse...

Encantador, Fran. Adoro suas teorias e sempre extraio algo de bom delas. Pra quê contrato se é tão natural?
:*