sábado, 6 de novembro de 2010

see you soon.

.
Não é da sua conta e mesmo assim você se importa. Não foi com você e mesmo assim você sente a dor. Não era pra você e mesmo assim você festejou. 
Compartilhamos prazer e sofrer. Isso acontece na distância e até quando estamos por perto. Contamos os problemas e revelamos os segredos, na maioria das vezes para pessoas estranhas. Gente estranha me atrai e me compreende. Não me cobra identidade ou cpf. Oferece conselhos, mesmo sabendo que eu não irei seguir ou ouvir.
Eu também me comporto assim. Tenho costume de dizer que sou um divã-cor-de-rosa, quando a verdade crua e nua é que são eles/as o meu divã-negro. Me acostumei a ser volúvel e assim evaparo rápido da vida de algumas pessoas, mas sempre existe aquela gente esperta que me tranca num pote e me ganha por mais alguns dias e com alguma sorte, por meses.
Não sou de seguir sequência ou ordem, a vontade é um bom volante de vez-em-nunca.
Se você encontra sentido e nexo nas minhas palavras é porque você, talvez, seja um/a semelhante diferente ou mentiroso/a.
Dizem que escrever alivia a alma e deixa o corpo leve, mas fato é que palavras perdem o valor quando não sentida, quando não tocada ou valorizada. Tem gente que procura palavra, pesquisa assunto e verbos não comuns. Sou do tipo largada, que sem pensar muito escreve o que vem na mente ou o que encontra no rótulo de xampu. A minha real intenção era dizer que pra aliviar é necessário chorar, isso sim alivia qualquer dor.
Por favor, não veja isso como lamúria ou como pedido de atenção. Vou logo dizendo que se estou escrevendo sem parar é porque não quero alguém pra ler, sei que as pessoas tem preguiça de texto logo e biográfico, afinal de contas, isso não te interessa, né mesmo?!
Palavras jogadas ao vento, agora posso voltar ao meu estado normal.

- i'll see you soon.

4 comentários:

Renato Alexandre disse...

Não li seu texto.

Apenas senti!

E pelo que senti encontrei semelhanças de pensamentos.
Sem seguir nenhuma linguagem literária, apenas uma sequencia de palavras que vem de dentro.

"Palavras jogadas ao vento, agora posso voltar ao meu estado normal, obrigado!"

renatocinema disse...

lindo, lindo, lindo.
Estou vivendo nesse momento, uma coisa muito parecida com isso. A distância...a semelhança....gostei do que li, me identifiquei de imediato.

Franck disse...

Eu gosto de textos longos e biográficos, eu gosto de sua busca, de sua exposição, de sua sensibilidade à flor da pele...
Bjs e um bom domingo, apesar dos pesares!

Monique disse...

em textos longos, sempre há ( ou na maioria) algo interessante. Sempre leio os seus
Um beijo, linda :}